02/12/11
Compartilhe

TOP 10 PRODUTOS DUVIDOSOS PARA SEU FILHO

Produtos, produtos produtos.
Nós precisamos de produtos, queremos produtos, usamos produtos.

Como mães, acima de tudo, escolhemos produtos, somos responsáveis pelas melhores escolhas. 

Ah, como mulheres também, que homem que acerta a marca do (coloque aqui qualquer categoria de produto do universo) que vocês usam na sua casa?

Não basta a gente ser responsável como consumidor, escolher criteriosamente as marcas, tem que aguentar um tiroteio de produtos lançados, disponíveis, martelados na nossa cabeça e que muitas vezes acreditamos serem bons / imprescindíveis / confiáveis / bacanas... e simplesmente não são.

TOP TEN PRODUTOS DUVIDOSOS PARA SEU FILHO

Lágrimas? Só nas mães.


1) Shampoo Johnsons: Você sabia que os Shampoos J&J contém substâncias químicas associadas ao câncer? No início de Novembro, estudos revelaram que esses cosméticos - tidos como serem gentis e adequados para bebês e crianças - carregam quantidades excessivas de formaldeído, comprovadamente uma substância tóxica. A empresa pediu desculpa, foi mal, e alegou que vai mudar a fórmula nos próximos 2 anos. Oi? O que são dois anos na vida de uma criança, né? E eu lhes pergunto, e a cabeça do meu filho que eu lavei trocentas vezes com formaldeído? Nos EUA e em outros países já existe uma linha Naturals, que não leva produtos tóxicos (obrigada, J&J). Mas aqui no gigante adormecido... fiquem de olho. 

Não existe mulher esperta
2) Roupas Machistas: Você conhece a marca de roupas Gymboree? Sucesso de vendas entre a mãezada Miami-Lover. Faz a linha Carters, é daquelas roupas fofinhas, aparentemente duráveis e que custam baratinho no exterior, porque aqui, minha filha, tudo é R$75,00. Um body? 75. Uma calcinha 75. Um conjunto completo 250. Ok. Mas a marca andou querendo fazer graça e lançou uma coleção infeliz: Smart Like Dad, Pretty Like Mom (esperto como o pai , bonita como a mãe). Obviamente, as garotas são as bonitas, os garotos são os espertos e não existe opção para quem quer ter uma menina inteligente, muito menos para um menino com uma mãe inteligente. Apesar do modelo Handsome like Dad (bonito como o papai) estar disponível. As feministas, e demais mulheres mais acertadas da cabeça, ficaram umas araras, fizeram um banzé cibernético e levantaram as questões: você se importa com o estigma de beleza que tão cedo é cobrado das mulheres? Você acha que é um produto inofensivo ou carrega traços machistas? Eu tô com elas, achei de mal gosto. Bastava que houvesse a opção "Inteligente como a mamãe"- para meninos e meninas.

Aumenta o risco de morte súbita? Vou comprar!
3) Conjunto de berço: De acordo com a Academia Americana de Pediatria não há nenhuma recomendação para o uso de protetores de berço. Não só não existem estatísticas que provem que eles diminuem o risco de acidentes como também existem estatísticas que provam que eles aumentam o risco de morte súbita! Na verdade, o que eles dizem não é que "não há recomendação"... a frase é: nunca devem ser usados em berços de recém nascidos (quando o risco de morte súbita é maior). Para mim esse é um caso clássico de um ítem absolutamente dispensável do enxoval, que as mães acreditam que precisam, sabe-deus-por-que e acabam comprando, às vezes gastando rios de dinheiro. Não só não precisa, como também é RUIM gente!! Economiza e gasta em uma coisa realmente necessária. Tipo Nutella, para quando você estiver deprimida às 4h da madrugada esperando seu filho dormir (para quem gosta de saber, a Nutella não me pagou, ok?)

E a galera que em prol da preguiça vai largar o bebê pendurado everywhere?

4) Carregadores caros: Ok, eu tenho, eu usei muito. Mas me foi emprestado, eu não teria gasto um centavo nele, uma vez que faz a mesma função de um sling que é menos da metade do preço, não carrega marcas e é normalmente um produto da indústria nacional. Bom, bonito, barato e socialmente responsável. Mas não só esses carregadores são uma febre como também não se para de inventar "funcionalidades"em nome da praticidade. Agora você pode pendurar o seu bebê na porta, na hora de usar o banheiro. Confesso que fiquei uns minutos pensando: será que isso é legal mesmo? Convenhamos, é difícil fazer xixi com bebê no colo, ainda mais em banheiro público. Mas aí me lembrei do número de vezes que, em frequentando um banheiro público, eu desejei que pudesse pendurar meu filho na porta. E o número foi zero. Até porque, se ele estiver no carregador - ou sling - é bem tranquilinho fazer xixi. Produto besta e dispensável.

Se eu não tiver uma máquina dessa eu vou ter o que? Que chacoalhar uma mamadeira?
5) Máquina de café espresso para fazer leite espresso: Foi a maior comoção e na minha opinião, todo mundo estava errado. A Nestlé lançou uma Nespresso para preparar o leite do nenê. O sachê de café? Um sachê de leite. A xícara? É a mamadeira. Mais uma inveção em prol da praticidade. As ativistas ficaram bem loucas, com o tamanho desestímulo que esse produto oferece à amamentação natural. Eu honestamente concordo, mas isso nem vem ao caso. O que me pega mesmo é: onde está a real necessidade de se ter uma máquina dessa. Ok, vamo supor que a mãe optou por ou não conseguiu amamentar. É muito difícil colocar o leite em pó na mamadeira colocar água e chacoalhar? Mais um produto que inventaram que você precisa. Mas não precisa, nem de longe!! PS: eu adoro café e acho que máquinas de café são o máximo. Fiquem longe do leite do nenê, isso não é para seu bico.

Se você quiser o meu está às ordens.
6) Chupador de fruta: Quando a gente é mãe de primeira viagem tudo é necessário e a tendência é se acreditar que todas as coisas que as listas dizem serão imprescindíveis quando seu bebê chegar. Eu que também já fui uma topeira, estou aqui para comprovar: você não precisa de uma redinha para chupar frutas. Por infinitos motivos. Primeiro que nenhum ser vivo deveria ser obrigado a se deliciar com uma suculenta manga através da textura esquisita de uma redinha. É um crime contra as sensações. As frutas são diferentes, tem diferentes texturas e nessa redinha fica tudo igual. E depois, o melhor argumento que há: nem todas as crianças topam comer fruta dentro desse treco. Joaquim odiou. É difícil de lavar, convenhamos, anti-higiênico... enfim. Não comprem. Aproveitem e não comprem chupetas e mamadeiras antes do bebê nascer. Você não sabe se ele vai precisar / querer/ gostar/ pegar e na minha opinião só de ter um treco desse em casa você já pode se sentir tentada a dar em uma situação de stress com amamentação. É melhor sair para comprar se realmente precisar do que já ter na manga... é meio caminho andado para usar outros trecos que não precisa.
Boa Noite Cinderela com problema no ciático!
7) Salto para meninas: Porque? Porque? Porque Deus? Para a sua filha ficar mais alta com 6 anos? Para ficar na moda? Por que é bonitinho? Não pode, não pode, não pode. Primeiro, pelos mesmos motivos dos produtos acima: nenhuma criança precisa verdadeiramente usar salto. Depois porque já foi mais do que falado que crianças em fase de desenvolvimento são PREJUDICADAS com esse tipo de calçado. Que mãe em sã consciência vai querer prejudicar a filha para ela andar vestida como uma atração de circo? O que me leva ao golpe de misericóridia: é feio!! Criança parecendo adulto é feio!! Bonito é ser criança!!


Sem alcool. Ah tá! Então volta cigarrinho de chocolate da Pan!
8) Champagne para criança: A CERESER, aquela mesmo da cidra que você comprava no fim de ano para jogar na cabeça das pessoas enquanto a (coloque aqui o nome da sua bebida de ano novo, em casa já teve de Veuve Clicquot a LiebFrauchMilch) gelava lançou esse ano uma champanhota em parceria com a Disney para crianças! Não existe explicação para isso. A alegação é que é um produto lúdico e divertido para as crianças celebrarem, e que a Disney vem para afirmar a marca como um ítem infantil...
A verdade é que eles estão formando alcoolatras. Estão fidelizando um público que tem cabeça fraca por definição (criança né gente? criança é cabeça de pudim, a gente sabe) para consumir agora e para sempre bebidas alcoolicas e associar diversão ao consumo de alcool. Novamente, precisa? Celebrar com champanhota? Que o seu filho venceu o campeonato de futebol da escola? Fora não precisar é grave, deveria ser proibido. Queria ver venderem a maconha da Barbie ou o cachimbo de crack do Backyiardigans. É a mesma coisa. 


Mas é gripe suína?
9) Bonecas Doentes: Eu adoro bonecas, e sempre brinquei com as mais variadas. Bebês carecas, com cabelos, meninos que faziam xixi. Mas tenho ficado impressionada com a quantidade de bonecas doentes que existem disponíveis por aí. E novamente te convido a pensar: porque oferecer para uma criança que brinque com uma boneca doente? Essas aberrações falam que estão donetes, espirram e tem febre. Vem com medicamento, termômetro e algumas até saram. Mas volta tudo de novo e a brincadeira da paranóia com a saúde continua. Ela é um bicho que vem de fábrica DOENTE!! Você vai no pet shop comprar um peixinho para seu filho e pede: me vê um doente, faz favor. O mais perebento, cheio de problema. Um à beira da morte, tá? Fora que na minha opinião essas bonecas aparentemente inofensivas estimulam as meninas a serem mães paranóicas com doenças, preparadas para filhos asmáticos, alérgicos, febris.... Vamos deixar que as crianças brinquem com bonecas não esteriotipadas, e que se dentro da imaginação deles um doencinha de boneca surgir, eles vão saber cuidar do jeito que as crianças fazem: sopa de terra. E não xaropes enlatados e mil medicações que acompanham essas tralhas.


Assim caminha a humanidade

10) Andadores: Acredite em mim, se você não acredita na Sociedade Brasileira de Pediatria e em todos os ortopedistas que leram um livro na última década: seu filho não precisa de um andador. Não só não precisa como faz mal! É perigoso! Ele pode ficar com a perna torta, o andador inibe a fase de engatinhar que é tão importante para o desenvolvimento cognitivo do bebê. Se perdeu no cognitivo? Engatinhar faz bem para a inteligência, andar sozinho, dentro do seu tempo também!! Colocar a criança no andador é ruim, do mal, errado. E você está gastando dinheiro com coisa que não precisa! Andador para mim é como os carros dos adultos e muitos outros ítens dessa finita lista: se a velocidade permitida em nossas estradas é no máximo 160 km/h porque é permitido que as empresas fabriquem carros que passam disso?